Aprovada criação de Comissão Externa da Câmara para acompanhar o caso do desaparecimento de Bruno Pereira e Dom Phillips

Vivi Reis (PSOL-PA) explicou que o próximo passo será reunir os deputados para definir a composição e o cronograma de trabalho da comissão para que os trabalhos comecem o quanto antes

15 jun 2022, 15:16 Tempo de leitura: 1 minuto, 27 segundos
Aprovada criação de Comissão Externa da Câmara para acompanhar o caso do desaparecimento de Bruno Pereira e Dom Phillips

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (15) a proposta de criação de uma comissão externa temporária para acompanhar, fiscalizar e propor providências acerca da apuração das circunstâncias do desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips, na região do Vale do Javari (AM). O requerimento da comissão, aprovado em votação simbólica, foi assinado pela deputada federal Vivi Reis (PSOL-PA), Joenia Wapichana (REDE-RR), Talíria Petrone (PSOL-RJ) e um conjunto de deputados e deputadas de oposição. 

Após a aprovação, o próximo passo será reunir os deputados para definir a composição e o cronograma de trabalho da comissão, como explicou a deputada Vivi Reis. “Trabalharemos para que a comissão seja instalada o quanto antes para que possamos buscar as respostas que familiares, amigos e a sociedade brasileira precisam diante desse caso tão grave”.

Entenda

Dom Phillips e Bruno Pereira estão desaparecidos desde o dia 5 de junho e as buscas têm sido marcadas pela falta de coordenação, omissão do governo federal e informações desencontradas que tem aumentado a angústia de amigos e familiares. O texto do requerimento aprovado na Câmara destaca ainda que “Diante de toda essa escalada de violência contra os povos indígenas, seus apoiadores, os protetores ambientais, a Câmara dos Deputados tem o dever de acompanhar e fiscalizar como estão sendo desenvolvidas as ações governamentais para desvendar as circunstâncias do desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips na região do Vale do Javari no estado do Amazonas e a falta de programas e planos de proteção da Amazônia.”