Comissão da Câmara que vai acompanhar investigações sobre morte de Bruno e Dom tem sua primeira reunião

Os deputados criticaram a pressa da PF em encerrar o caso e apontaram elementos que justificam a continuidade das investigações para identificar possíveis mandantes e a existência de redes criminosas que atuam na região

20 jun 2022, 11:34 Tempo de leitura: 1 minuto, 51 segundos
Comissão da Câmara que vai acompanhar investigações sobre morte de Bruno e Dom tem sua primeira reunião

A Comissão Externa da Câmara Federal que vai acompanhar e propor providências acerca das circunstâncias da morte de Bruno Pereira e Dom Phillips teve sua primeira reunião na manhã de hoje, 20.

Os deputados criticaram a pressa da Polícia Federal em querer encerrar o caso e apontaram elementos que justificam a continuidade das investigações para identificar possíveis mandantes e a existência de redes criminosas que atuam na região do Javari e podem ter relação com o assassinato. “Queremos ouvir indígenas, indigenistas, familiares e autoridades. A Univaja fez uma série de denúncias que devem ser apuradas. Não vamos aceitar uma versão simplista que associa a morte de Bruno e Dom à pesca ilegal de pirarucu, que é grave e irregular, mas que segundo relatos dos próprios indígenas, é apenas parte de uma rede criminosa que atua livremente na região, com a conivência do governo federal”, afirmou a deputada federal Vivi Reis (PSOL/PA), que integra a Comissão.

Na reunião, Vivi Reis – que participou virtualmente por estar se recuperando de Covid-19 – também defendeu que a Comissão apure as circunstâncias do assassinato do servidor da Funai, Maxciel Pereira, em 2019 no município de Tabatinga (AM), que até hoje segue impune. A deputada afirmou que existe grande possibilidade dos dois crimes terem relações diretas e que, por isso, é importante a devida apuração, para chegar aos possíveis mandantes que podem integrar a mesma organização criminosa.

A Comissão voltará a se reunir nesta terça-feira, 21, às 15 horas. Uma diligência na próxima semana à Atalaia do Norte deve ser aprovada pelos membros da Comissão, assim como uma agenda de audiências e reuniões com representantes de entidades indígenas e autoridades federais.

Na reunião de hoje, além de Vivi Reis, participaram os deputados federais José Ricardo (PT/AM), que coordena a Comissão Externa, Orlando Silva (PCdoB/SP), que preside a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, Alice Portugal (PCdoB/BA), Perpétua Almeida (PCdoB/AC), Leo de Brito (PT/AC) e representantes dos demais parlamentares membros da Comissão.