Deputada Federal Vivi Reis quer que Pazuello explique o que está sendo feito para evitar o desabastecimento de oxigênio na região Oeste do Pará

A deputada Federal Vivi Reis (PSOL PA) requereu informações ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre o risco de risco de desabastecimento de oxigênio medicinal nas cidades paraenses, em especial as da região oeste do estado. O requerimento de informações foi apresentado nesta terça-feira (2 de fevereiro), na Câmara Federal. De acordo com a deputada, […]

17 Nov 2021, 17:30 Tempo de leitura: 2 minutos, 12 segundos

A deputada Federal Vivi Reis (PSOL PA) requereu informações ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre o risco de risco de desabastecimento de oxigênio medicinal nas cidades paraenses, em especial as da região oeste do estado. O requerimento de informações foi apresentado nesta terça-feira (2 de fevereiro), na Câmara Federal.

De acordo com a deputada, o iminente colapso no sistema de fornecimento de oxigênio medicinal nos municípios do Pará torna possível a repetição das trágicas cenas registradas em janeiro na cidade de Manaus, onde dezenas de vidas foram perdidas pela falta de oxigênio medicinal, em função do recrudescimento da pandemia da Covid-19, especialmente no Norte do Brasil.

“No estado do Pará, diversos municípios já manifestam preocupação com a possibilidade de repetirmos aqui a grave crise sanitária e humanitária observada em Manaus. Nossa preocupação é maior com as cidades localizadas no oeste do estado – região mais próxima do Amazonas – como Faro, Monte Alegre e Santarém, onde se têm registrado índices cada vez maiores de ocupação de leitos e sinalizam possível falta de oxigênio para tratamento dos pacientes”, afirma Vivi Reis. 

Diante desta situação, Vivi Reis quer que Pazuello responda se o Ministério da Saúde possui informações atualizadas sobre o estoque atual de oxigênio medicinal no estado do Pará,  qual seria esse quantitativo e a quanto tempo de atendimento corresponderia. 

No requerimento, a deputada também questiona quais medidas estão sendo adotadas pelo Ministério da Saúde, caso os estoques sejam insuficientes,  para suprir a necessidade de oxigênio medicinal e evitar uma situação extrema de colapso no abastecimento tal como registrada no Amazonas. 

Por fim, também foram solicitadas informações sobre se houve contatos com as empresas fornecedoras de oxigênio medicinal para o estado do Pará, a fim de garantir que estas possuam capacidade de produção e entrega em caso de aumento significativo da demanda. 

O agravamento da pandemia da Covid-19 no Brasil tem levado a uma situação cada vez mais preocupante no sistema de saúde. Além das mais de 224 mil vidas perdidas e os mais de 9,2 milhões de brasileiros e brasileiras diagnosticados com o vírus, a falta de coordenação na resposta à pandemia tem tornado o cenário ainda pior. “Neste cenário, a região norte do Brasil, historicamente afetada pelo sucateamento dos serviços públicos de saúde, tem sido a mais drasticamente afetada por esse recrudescimento”, afirma a deputada.