Deputada Vivi Reis (PSOL/PA) participa de diligência apurar efeitos da fumaça tóxica liberada pela Imerys

Vivi Reis acompanhou a diligência da Assembleia Legislativa do Pará que esteve na quinta-feira na cidade de Barcarena para avaliar os impactos sociais e ambientais do incêndio.

9 dez 2021, 15:38 Tempo de leitura: 1 minuto, 57 segundos
Deputada Vivi Reis (PSOL/PA) participa de diligência apurar efeitos da fumaça tóxica liberada pela Imerys

A deputada federal Vivi Reis (PSOL) integra a diligência da Assembleia Legislativa do Pará, iniciativa do deputado estadual Carlos Bordalo (PT), que esteve na quinta-feira (9) na cidade de Barcarena para avaliar os impactos sociais e ambientais da fumaça tóxica emitida pelo incêndio no galpão de produtos químicos da mineradora Imerys na noite de segunda-feira (6). 

Além de parlamentares, a diligência é composta por integrantes de movimentos e entidades ligados ao meio ambiente e direitos humanos, representantes da comunidade local, Ministério Público e poder judiciário.

O primeiro ponto de parada foi a planta industrial da mineradora Imerys, onde famílias das comunidades atingidas faziam um protesto em frente ao portão principal. Representantes da comunidade foram incorporados à comitiva, recebida por diretores da indústria no auditório da Imerys.

A deputada questionou se os técnicos sabiam que o produto químico que entrou em combustão, o hidrossulfito de sódio, provoca  irritação no aparelho respiratório e pode provocar   irritação na pele e no trato gastrointestinal e se isso foi informado para a população, e as respostas foram evasivas. 

“A mineradora tenta diminuir a importância dos impactos de um vazamento de fumaça tóxica, que ela chama de ‘evento’, que levou a população a precisar de atendimento médico. Precisamos chamar isso pelo seu verdadeiro nome: é um crime ambiental que precisa ser apurado e não pode ficar impune”, afirma Vivi Reis, acrescentando que a bancada do PSOL na Câmara dos Deputados, representou ao MPF no Pará e à 4a Câmara da PGR (Meio Ambiente e Patrimônio Cultural) solicitando a busca ativa das pessoas atingidas,

Vivi Reis também enviou, por meio da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, ofícios cobrando atuação das autoridades estaduais e da Empresa Imerys e protocolou pedido de uma comissão externa da Câmara dos Deputados para acompanhar o caso. Também acionou a Agência Nacional de Mineração pra que envie toda a documentação referente a atuação da Imerys, além de solicitar a responsabilização da empresa e de todos os agentes estatais que contribuíram para o acontecimento desse fato, em todas as esferas do direito.

Fotos: Sílvia Giese/ Mandato Vivi Reis