Presidente da CDHM solicita audiência urgente com o governador do Pará para discutir proteção de indígenas do sudoeste do estado.

A audiência atende a uma solicitação feita pela deputada federal Vivi Reis (PSOL/PA), membro da Comissão de Direitos Humanos e Minoria da Câmara O Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados, Carlos Veras (PT/PE) solicitou ao governador do Pará, Helder Barbalho (PMDB), uma audiência urgente para discutir a proteção […]

17 Nov 2021, 17:36 Tempo de leitura: 1 minuto, 39 segundos

A audiência atende a uma solicitação feita pela deputada federal Vivi Reis (PSOL/PA), membro da Comissão de Direitos Humanos e Minoria da Câmara

O Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados, Carlos Veras (PT/PE) solicitou ao governador do Pará, Helder Barbalho (PMDB), uma audiência urgente para discutir a proteção de indígenas do sudoeste do estado. O pedido foi encaminhado na sexta-feira (26 de março), após o ataque ocorrido à Sede da Associação de Mulheres Indígenas Munduruku – Wakoburum (AMIM) e atendeu a uma denúncia feita na Comissão pela deputada Vivi Reis (PSOL/PA).

Assim que soube do ataque, a deputada entrou em contato com o secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Pará, Ualame Machado, pedindo providências para garantir a integridade física das lideranças ameaçadas. “As ameaças de mortes, assim como outras tentativas de intimidar as lideranças que se contrapõem aos projetos que destroem a floresta amazônica, vêm se tornando cada vez mais frequentes, legitimadas pela ausência de ações das autoridades e isso é inadmissível”, afirma Vivi.

Além do convite ao governador Helder Barbalho, a Comissão também encaminhou ofícios com teor semelhante para Ualame Machado e, ainda, documentos pedindo providências e a apuração do caso para Eduardo Bim, presidente do Ibama; Washington Luis Rodrigues, superintendente do Ibama no Pará; Marcelo Xavier da Silva, presidente da Funai; José Macedo Leal, coordenador regional substituto da Funai/Tapajós; Rolando Souza, diretor-geral do Departamento de Polícia Federal e Wellington Santiago da Silva, superintendente Regional da Polícia Federal.

Na semana passada o Ministério Público Federal reiterou, na semana passada, um pedido feito em 2020 à Justiça Federal pedindo que forças federais atuassem no sentido de  impedir ataques dos garimpeiros aos indígenas.

*Com informações da Assessoria da CDHM.