Vivi Reis denuncia à Adepará invasão de Terra Indígena por pecuaristas na região de Altamira

Mais de 10 mil cabeças de gado estariam sendo criadas sem registro nem fiscalização na TI Ituna-Itatá.

19 abr 2022, 18:40 Tempo de leitura: 1 minuto, 51 segundos
Vivi Reis denuncia à Adepará invasão de Terra Indígena por pecuaristas na região de Altamira

A deputada federal Vivi Reis (PSOL/PA), junto com a também deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL/RS), encaminhou ofício para a direção da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) pedindo que apure a denúncia de que a Terra Indígena Ituna-Itatá estaria sofrendo com uma ação coordenada de invasão por parte de pecuaristas. 

Localizada entre os municípios de Altamira e Senador José Porfírio, no Pará, a  TI Ituna-Itatá tem sido alvo de invasões e ações de desmatamento de maneira sistemática nos últimos anos. Entre os anos de 2016 e 2019 a área desmatada na Terra Indígena passou de 233 

hectares para cerca de 12 mil hectares. A situação é ainda mais trágica porque a TI abriga povos isolados que demandam um esforço maior de proteção. 

De acordo com as denúncias, os invasores têm expandido a atividade agropecuária para dentro dos limites do território Ituna-Itatá. “O rebanho bovino teria mais de dez mil cabeças criadas sem registro nem fiscalização, em área embargada pelos órgãos de proteção ambiental, o que representa também um risco sanitário potencial para a pecuária do Pará, por isso acionamos a Adepará”, explicou Vivi Rei.

Ainda nesta terça-feira (19) pela manhã, Vivi Reis participou, no Plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília, de Sessão Solene em Homenagem ao Dia dos Povos Indígenas, com a participação de lideranças de diferentes etnias brasileiras. A deputada foi uma autoras do pedido de sessão, junto com as deputadas Joenia Wapichana (Rede/RR), Sâmia Bomfim (PSOL/SP), Talíria Petrone (PSOL/RJ) e Érika Kokay (PT/DF)  

“Hoje é Dia dos Povos Indígenas e denúncias como esta apenas reforçam que ainda há um longo caminho de luta e resistência a ser percorrido para assegurar os direitos dos povos originários em todo o país. Na Amazônia, o avanço de atividades ilegais de garimpo, pecuária e de madeireiras representa uma ameaça constante à vida e ao ambiente”, afirmou a deputada. 

*Foto: Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados