Preenchendo o formulário você aceita receber comunicações da Vivi Reis. Veja nossa política de privacidade. Este site é protegido pelo reCAPTCHA e, por isso, a política de privacidade e os termos de serviço do Google também se aplicam.

Quem é Vivi Reis?

Vivi é uma trabalhadora da saúde, mulher negra, feminista, moradora da periferia de Belém, LGBTQIA+ capaz de fazer ecoar nossas vocês dentro da Câmara Municipal de Belém. Ela é uma de nós por todas nós contra a velha política. Assine o manifesto e declare seu apoio.

Programa de Mandato Vivi Reis

Clique nos tópicos abaixo para conhecer a fundo as principais propostas do nosso programa de mandato!

Manifesto por Vivi vereadora

Somos muitas e muitos e queremos Vivi vereadora de Belém!  Para ecoar a nossa luta, apostamos na transformação da política e queremos ocupar a Câmara Municipal com as nossas vozes. Somos mulheres, negras e negros, LGBTI+, moradores da periferia, movimentos culturais, do esporte, da mobilidade ativa, profissionais da saúde, jovens, educadores e estudantes de cursinho popular, enfim, somos a maioria e a Vivi é uma de nós.

Estamos em um momento decisivo para a cidade de Belém. Em poucos dias nós belenenses escolheremos, nas urnas, quem ocupará por quatro anos a Prefeitura e a Câmara de Vereadores da cidade. Após anos de abandono pelo poder público, a desigualdade, a violência contra a mulher, a precarização do trabalho, da educação e saúde, que antes já eram gritantes, agora atingem níveis insustentáveis.  

A pandemia escancarou os efeitos da política de morte para o nosso povo. Os governos federal, estadual e municipal colocaram o lucro acima da vida e deixaram Belém no centro da tragédia por muito tempo. Nesse cenário, o povo pobre da periferia, sobretudo as mulheres negras, mais uma vez foram os mais penalizados.

Por isso, Belém precisa ser um polo de resistência contra a política genocida de Bolsonaro, assim como fizemos quando ocupamos as ruas nos atos do #EleNão ou quando a juventude negra foi às ruas lutar contra o racismo e o fascismo, gritando que vidas negras importam.

Uma de nós contra a velha política.

Os que nos governam são quase sempre os mesmos, líderes das oligarquias locais e pertencentes aos velhos partidos tradicionais. Em sua maioria são homens ricos e engravatados, cujas famílias fizeram da política uma via de enriquecimento, aqueles que aprovam projetos de lei que beneficiam a si próprios ou a quem os financia. São esses todos, mesmo que com caras novas, mas com ideias velhas, que governaram e votaram sempre contra o povo de Belém. E que mais uma vez não inspiram nenhuma confiança.

Enquanto isso, e por conta disso, cresce a desconfiança com a política tradicional e a cidade de Belém segue no abandono. A pandemia escancarou os efeitos dessa lógica e vivemos momentos de desespero por falta de comprometimento com a saúde pública e com seus profissionais. Nos negam educação, saúde, segurança e transporte de qualidade e, como reflexo da falta de representantes comprometidos, aumentam a violência, a desigualdade, a retirada de direitos dos trabalhadores, a violência contra as mulheres, o racismo, a LGBTI+fobia, a velhofobia e o capacitismo.

Precisamos que a luta ocupe o lugar dos acordos de gabinete. Por isso, com Edmilson e o PSOL queremos construir uma Belém de novas ideias, que dê passagem para o novo e tenha uma prefeitura que represente o povo. E lutaremos para abarrotar a Câmara de Vereadores com gente com a nossa cara, que veio de onde nós viemos, que luta pelo que nós lutamos – como a maioria das mulheres de Belém. Batalharemos para que as mulheres feministas e ativistas ocupem a Câmara de Belém, pois, de 35 vereadores, somente 3 são mulheres. Precisamos que a periferia de Belém ocupe, com seus representantes, a Câmara que vergonhosamente vota contra os nossos interesses. A eleição municipal de 2020 é o momento de virar a mesa do poder, com gente com a nossa cara, que veio de onde nós viemos, que luta pelo que nós lutamos.

Na Luta é que a gente se encontra.

Felizmente, em contrapartida à lógica hegemônica, nós resistimos. Liderados pelas mulheres, mães, trabalhadoras da saúde, chefes de famílias, nas casas, nos locais de trabalho, nas ruas e praças, nas escolas e universidades, nós resistimos!

Apesar do abandono, da violência, da retirada de direitos e da corrupção, Belém segue sendo uma cidade onde se constrói muita luta e resistência. Por isso, para a eleição municipal de 2020, apoiamos a candidatura da Vivi para vereadora. Vivi é uma jovem trabalhadora da saúde, mulher negra, feminista, moradora da periferia de Belém. Vivi é pedreirense, como ela se orgulha de dizer. Ativista reconhecida, sempre presente nas lutas do povo de Belém, desde muito antes de pensar em ser candidata. Apoiamos esta candidatura pois a Vivi é a expressão daqueles que querem revolucionar a política, torná-la radicalmente democrática e fazer ecoar as nossas lutas e demandas dentro dos espaços de poder, com a força das mulheres, negros e negras, da juventude, dos LGBTI+ e dos trabalhadores, com muita coragem para sacudir as velhas estruturas da Câmara Municipal de Belém.

“Nós apoiamos esta candidatura porque a Vivi é uma de nós e queremos ela por todas nós!”

Assinaturas iniciais

  • Sâmia Bomfim
    Deputada federal e líder do PSOL na câmara
  • Fernanda Melchionna
    Deputada federal PSOL
  • Luciana Genro
    Deputada Estadual PSOL/RS
  • Lívia Noronha
    Professora de filosofia, empreendedora e Candidata a prefeita em Ananindeua
  • Edmilson Rodrigues
    Candidato a prefeito em Belém
  • Tiane Melo
    Manga Poética
  • Zienhe Castro
    Cineasta, roteirista e diretora geral do festival pan-amazônico de cinema (Amazônia DOC)
  • Thaís Badu
    Cantora e compositora
  • Joyce Cristina Cursino de Abreu
    Jornalista e realizadora audiovisual
  • Marcos Melo
    Jornalista do Poc News (Instagram)
  • Antônio Couto de Oliverira Neto
    Publicitário, pesquisador, cantor, compositor e ativista LGBTQIA+
  • Lucia Isabel
    Docente de Pedagogia (UFPA)
  • Maria Rocha
    Assistente social da Seap
  • Cyro Almeida
    Servidor público e músico
  • Zeca Batista da TF
    Geógrafo e liderança popular da Terra Firme
  • Ruth Lena Damasceno Ramos (Ruth Diva)
    Trabalhadora de segurança (Mormaço)
  • João Gomes
    Sociólogo e educador da Fase
  • Márcia Goretti Guimarães de Moraes
    Fisioterapeuta da UEAFTO/CERII/UEPA

Assine o manifesto!

Preenchendo o formulário você aceita receber comunicações da Vivi Reis. Veja nossa política de privacidade. Este site é protegido pelo reCAPTCHA e, por isso, a política de privacidade e os termos de serviço do Google também se aplicam.

Obrigada! Formulário enviado com sucesso!